“Um simples exame de sangue não é suficiente”

Diagnóstico

Um simples exame de sangue não é suficiente para diagnosticar o linfoma. Por isso, quando há a suspeita da doença, o médico deve encaminhar o paciente a um profissional especializado ou a um hospital aparelhado para realizar testes mais específicos.

São eles:

 

 

A biópsia

Fazer uma biópsia costuma ser a única forma de detectar o linfoma. O procedimento é realizado após a remoção de algumas células anormais para análise no microscópio. Normalmente, é retirado todo o gânglio linfático, o que requer anestesia geral e internação de pelo menos um dia. Em alguns casos, a coleta pode ser feita com uma agulha especial, não sendo necessária a retirada total da área afetada. Mas os especialistas aconselham remover o gânglio por inteiro, sempre que possível.

A análise do material coletado é feita por uma equipe de médicos. Para checar alterações no DNA ou na camada de proteínas que cobre as células, são realizados outros testes. Eles são necessários para determinar o tipo de linfoma.
Mesmo em grandes hospitais, é normal que sejam registrados apenas alguns casos de linfoma por ano, em parte porque a doença é de difícil detecção. Por isso, os casos suspeitos são encaminhados para laboratórios ou hospitais especializados, onde profissionais da área poderão fazer o diagnóstico preciso.

Quando a doença é confirmada, o paciente é levado a um especialista (caso já não esteja sob os cuidados de um). Os médicos que tratam o linfoma são das áreas de hematologia e oncologia.
Próximo passo

Com o diagnóstico de linfoma confirmado, é preciso descobrir em que estágio a doença se encontra e que outras partes do corpo podem ter sido afetadas. Este processo requer uma série de novos exames, para os quais a internação não é necessária. Nem sempre será preciso realizar todos os testes complementares. Geralmente, com os mais simples, já é possível obter informações suficientes para determinar como será o tratamento.

Exames de sangue – por meio da análise de uma amostra de sangue, o médico pode avaliar o estado geral de saúde do paciente. Para um melhor acompanhamento, pode ser necessária a contagem de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas. Durante e após o tratamento do linfoma, são realizados exames periódicos de sangue.

Biópsia da medula – a medula é a substância responsável pela formação das células sanguíneas. É comum que o linfoma seja detectado na medula; por isso, pode ser necessária uma biópsia. O procedimento é realizado com uma agulha especial, que é inserida no osso da bacia ou da pélvis. Dura cerca de 15 minutos e apesar de ser feito com anestesia local, pode ser bem dolorido. Para diminuir o desconforto, utilizam-se analgésicos e sedativos.

Raios-X – usados para fotografar várias partes do corpo. No caso do linfoma, um raio-X de tórax, por exemplo, pode ser necessário para checar a presença de nódulos na região. São exames rápidos e indolores.

Scanners – são exames mais sofisticados, que mostram imagens mais detalhadas dos órgãos internos. Conheça os principais:

Na tomografia computadorizada, o paciente é posicionado em uma espécie de cama, acoplada a uma câmara em forma de cilindro. Lá, são geradas imagens computadorizadas do interior do corpo, mais claras e precisas do que as obtidas no raio-X. O procedimento é indolor e leva de cinco a 20 minutos.
  A ressonância magnética é similar à tomografia computadorizada, mas usa uma tecnologia diferente. Neste exame, as imagens são obtidas por meio de ondas eletromagnéticas. O procedimento é particularmente útil para obter fotografias do cérebro e da espinha e é indolor. Dura cerca de uma hora e é bastante barulhento; por isso, o paciente pode usar protetores de ouvido durante o exame. Algumas pessoas consideram a técnica claustrofóbica.
  Os PET Scans são utilizados para monitorar a atividade celular, ajudando o médico a distinguir entre as células malignas e as normais. Geralmente, este procedimento é usado durante o tratamento do linfoma. Outras aplicações da técnica estão sendo estudadas.
  Os exames de ultrassom servem para checar o interior do abdômen. Levam, em média, 15 minutos e não causam dor.

Resultados
A espera pelos resultados dos exames pode demorar algumas semanas. Parece muito tempo, mas para escolher o melhor tratamento para cada caso de linfoma é necessário obter a maior quantidade de informações possível. Aguardar por notícias pode ser angustiante, mas é preciso ter paciência.

Com os resultados em mãos, é possível determinar o tipo de linfoma e o tratamento adequado.

 

Colors


Themes